Um Rei ou Um Pai? por Luiz Hermínio

Publicado por Comentários

BLOG-SITE

Quando você vai à igreja, eu não sei qual é a intenção que o leva a ouvir uma palavra, mas quero expressar a intenção do meu  coração, quando vejo cada uma das pessoas que se apresentam diante de mim, nos cultos de oração, nos cultos de casais. Não os vejo como pedintes. Se tem algo que é verdadeiro dentro de mim é a crença em cada uma das pessoas que vejo. E isso é, de fato, um risco

Muitos não querem correr riscos, porque podem não ser correspondidos. Doar-se é sempre um risco! Quando se estende a mão, corre-se o risco de se envolver para sempre. Deus enviou seu filho para morrer por nós e por você, mas o que está, de fato, em jogo não é o risco que vamos correr, e sim o quanto vamos acreditar no que estamos fazendo, porque tudo o que valorizamos torna-se valioso.

Se valorizamos coisas, essas mesmas coisas se autovalorizam. Assim também será com aqueles que nos rodeiam. Se temos uma visão boa de alguém, essa mesma pessoa começa a acreditar em si mesma. É por isso que a Palavra nos ensina que se nossos olhos forem bons, todo o nosso corpo será abençoado.

Assim é a Palavra de Deus. Ela não é empolgação ou manipulação, ela existe para gerar vida. Precisamos ser cautelosos com aquilo que falamos, porque morte e vida estão no poder da língua. Palavras têm poder de matar ou de gerar vida. Aquilo que falamos, ensinamos ou, ainda, admoestamos pode mudar o destino de uma pessoa. Muitos estão presos por palavras que um dia ouviram de um pai, de um marido ou de alguém que lhes liberou uma palavra indevida.

Certa vez, uma moça me procurou pedindo que eu orasse para que Deus enviasse um esposo a ela. Minha resposta foi para que pedisse ao Senhor um cheio do Espírito Santo, porque um homem cheio de Deus sempre será capaz de suprir as necessidades de um lar, tanto no campo espiritual como no material. Muitas das decepções nas relações interpessoais ocorrem porque não vamos para o Senhor com nossas necessidades na condição de filhos, e sim de pedintes. Se ela for ao Senhor como filha, ele escolherá um dos seus para o matrimônio, e Deus não escolhe nada ruim para seus filhos. Ele é bom em todo o tempo e tem como meta realizar seu propósito. Meu conselho a ela foi: Esconda-se em Deus, esteja coberta por sua nuvem de glória. Certamente seu esposo estará lá, envolto na presença majestosa do Aba.

Trecho extraído do livro Paternidade para as Nações de Luiz Hermínio.