Autoridade e Poder – Parte I: Unção de Deus

Publicado por Comentários

Autoridade-e-Poder-Unção-De-Deus

Imagine que você está dirigindo um carro por uma estrada deserta sem iluminação, e de repente uma pessoa aparece no meio do nada fazendo sinal para parar. O que você faz: pisa no acelerador ou no freio? Agora, imagine comigo essa mesma cena, mas ao invés de uma pessoa desconhecida, há policiais fardados dando sinal para parar. Bom, talvez você pode ser meio ‘louco’ ao pisar no acelerador furando a blitz policial e assumindo o risco de levar uma bala na cabeça. O policial tinha autoridade para pará-lo porque apresentava elementos como a farda, o distintivo e uma arma; enquanto o desconhecido não. Ou um policial rodoviário que tem autoridade para parar uma grande carreta pesada que tem o poder de passar por cima dele. Esses foram alguns exemplos para ilustrar o que quero dizer com autoridade e poder.

Poder é geralmente usado em conjunto com a palavra autoridade. Alguém pode ter o poder de realizar uma atividade, mas não autoridade para fazê-lo. Na bíblia, a palavra ‘unção’ é uma autoridade dada pelo Espírito Santo para fazer algo em nome de Deus com amor. Autoridade você não impõe, ela é conquistada. É adquirida não por força e nem por violência, mas através da verdade, justiça e amor.

Autoridade normalmente significa o direito concedido a uma pessoa para fazer determinadas coisas em função da posição que ocupa. Autoridade é também o direito de exercer poder = poder de autoridade. Essa palavra destaca o aspecto da legalidade e do direito, mais do que a força física necessária para fazer algo. Jesus tinha autoridade para perdoar os pecados (Jo 5:26-27), para fazer algo para alguém em nome do Pai (Mt 21:23-27). Autoridade sobre toda carne (Jo 17:2). Autoridade sobre a natureza (Lc 8:22-25; Mc 11:12-14). Autoridade para ensinar (Mt 7:29). Autoridade sobre todas as enfermidades, doenças e demônios (Lc 9:1-2).

Poder, dunamis, é uma capacidade para executar qualquer coisa. Quando usado acerca de homens refere-se ao direito de exercer poder. Alguém que tem autoridade pode exercer poder para fazer obras poderosas (Mc 6:5), milagres (At 2:22; 8:13), maravilhas, prodígios (Mt 7:22, 11:20-23).

Unção de Deus
Temos como base a passagem de Isaías 61 e a confirmação dessa grande verdade por Jesus em Lucas 4:18-19 que a unção é dada por Deus para um propósito específico de evangelizar os pobres, restaurar os corações arrependidos, proclamar liberdade aos escravos, libertação aos presos e proclamar o ano aceitável do Senhor. Essa é grande diferença de quem prega com unção (autoridade) para quem não prega com unção. O que prega com unção ora a Deus por um coração quebrantado e contrito.

“Precisamos acabar com nossa religião sintética. Uma situação dessas revela a falta de unção nos púlpitos e de ação nos bancos. O fato é que hoje não se prega mais o evangelho com o mesmo fervor de antes, e não há mais fome de se ouvir a pregação”. Leonard Ravenhill

Jesus iniciou o seu ministério de curas e ensinos somente quando foi ungido pelo Espírito Santo. Ele foi levado pelo Espírito cheio do Espírito ao deserto e foi tentado por quarenta dias (Lc 4:1-2). Passado a tentação, Jesus voltou no poder do Espírito. A medida que passamos pelas provações, Deus derrama mais autoridade e poder sobre nossas vidas. Se não passarmos pela prova, repetimos e fazemos de novo. Igual na escola. Porque Deus dará mais autoridade conforme a capacidade de cada um (Mt 25:14-30). Deus não dará algo para alguém que não tem estrutura para suportar (Mt 9:14-17). As pessoas se admiraram com o seu ensino, porque Jesus falava com autoridade (Lc 4:32). Ele vivia e tinha na palavra que pregava. Deus deu ao Seu Filho amado o direito de manifestar o Reino com autoridade e poder. Um das maiores tragédias que alguém pode cometer na vida ministerial é pregar no púlpito das igrejas sobre o Espírito Santo e não ter a unção do Espírito. Comece a pregar somente quando você sentir que foi ungido pelo Espírito com graça e poder do alto. Não pule o processo de Deus.

“Uma pregação sem unção mata a alma do ouvinte, em vez de vivificá-la. Se o pregador não estiver ungido, a Palavra não tem vida. Pregador, com tudo que possuis, adquire unção”. Leonard Ravenhill

E como adquirir unção do Espírito? Com arrependimento, oração com fervor, coração humilde e disposto a obedecer a voz de Deus. Se adquiri unção no lugar secreto, lugar de intimidade, de comunhão com o Espírito. É gerado no altar de Deus para manifestar nos púlpitos das igrejas e nas ruas. Leonard Ravenhill está muito certo ao dizer que quando se prega com unção nos púlpitos, há ação nos bancos.

Tentação da autoridade dada pelo Diabo
Não se engane que o diabo não tem o poder de dar autoridade para uma pessoa. Sim. Ele tem e pode. Foi o que tentou fazer com Jesus ao oferecer autoridade e glória se o adorasse (Lc 4:6, versão Almeida). Ofereceu fama, aceitação pessoal e dinheiro. São elementos que muitos desejam para obterem poder sobre as pessoas. Muitos estão recebendo autoridade dada pelo diabo para fazer algo em seu nome, assim trazendo destruição por onde passa. Falsos profetas e mestres estão dominando pessoas com falsas promessas de prosperidade econômica, cargos e sacrifícios. Tornando-as escravas do pecado através da infantilização, tendo suas identidades de filhos e filhas roubadas.

Jesus foi um homem e Filho ungido pelo Espírito de Deus com poder e autoridade. Poder para realizar uma atividade e autoridade para fazê-lo. Ele também deu aos seus discípulos o direito de fazer em Seu nome (Lc 9:1-2).

No próximo post, falaremos mais sobre o assunto.